sexta-feira, fevereiro 24, 2006

[no comboio descendente ...]

No comboio descendente vinha tudo à gargalhada
uns por ver rir os outros
e os outros sem ser por nada
No comboio descendente de Queluz à Cruz Quebrada...
No comboio descendente vinham todos à janela
uns calados para os outros
e os outros a dar-lhes trela
No comboio descendente da Cruz Quebrada a Palmela...
No comboio descendente mas que grande reinação!
uns dormindo outros com sono
e os outros nem sim nem não
No comboio descendente de Palmela a Portimão...

Fernando Pessoa

2 comentários:

Laranja com Canela disse...

Dancing Kid, deixei-lhe um desafio no Laranja com canela.

Anónimo disse...

Outro dos poetas que eu admiro.
De todos os heterónimos, é a poesia de Fernando Pessoa que eu mais gosto.
Vamos ver se no fim de semana, eu tenho paciência para ligar o computador e usar esta página para também promover poesia.

Filipa